[Especial Meg Cabot] Adaptações TV

especial meg cabot

Oiee! Como vão?

Ontem falamos das adaptações para o cinema e hoje falaremos da adaptação para a TV (adaptação essa que eu por acaso estou louca para ver, mas que optei por terminar a leitura de todos os livros da série).

Desaparecidos

A série de livros Desaparecidos deu origem à série de televisão canadense chamada “1-800 MISSING”, lançada em 2003 no Canadá e em 2009, com o nome Missing pela Globo no Brasil, indo ao ar durante a madrugada. Ela teve apenas três temporadas, contando com Caterina Scorsone no papel principal, de Jessica Mastriani.

Os episódios não são super fáceis de achar, mas também não são de todo difícil. Aqui você pode encontrar a lista com todos os episódios. E como eu sou uma pessoa super legal, eu encontrei o primeiro episódio para vocês:

[Resenha] Codinome Cassandra – Série Desaparecidos – Meg Cabot

Codinome Cassandra

Codinome Cassandra é o segundo livro da série desaparecidos. O primeiro volume, Quando cai o raio, já foi resenhado aqui no blog, para conferir, clique aqui.

Lendo Codinome Cassandra cheguei a uma conclusão, sou péssima para lembrar detalhes das estorias, só fui lembrar completamente do que aconteceu no primeiro livro, na metade do segundo. Mas uma coisa é certa, o primeiro foi infinitamente melhor que o segundo.

No primeiro livro tem romance, aventura, quebra pau, e eu lembro que ri muito enquanto lia, mas isso não aconteceu no segundo. Foi lindo? Foi, mas eu queria mais. Queria mais bad boy. O Rob, amor eterno da Jess e obviamente meu também, apareceu muito pouco, ainda que nas vezes que apareceu não deixou a desejar. Ah não ser é claro, em beijos, mas isso não vem ao caso. Kkk

Enfim, no ultimo livro, ela afirmou para o mundo que seus poderes tinham acabado. Puff! Sumiu! Mas quem nunca contou uma mentirinha na vida? Jess ama mentirinhas inocentes que no final não se tornam tão inocentes assim.

No segundo livro ela tenta manter uma vida normal, longe de agentes do FBI e sendo monitora em um acampamento de jovens prodígios musicais. Pra quem não se lembra, a Jess ama musica. Era para ser tudo tranquilo, se o coração grande e amoroso da Jess não entrasse no meio.

E a partir dai, toda a confusão começa a acontecer. E o lado chutar e depois perguntar da Jess é colocado em ação novamente.

O final foi legal, o desenvolver foi legal, e o inicio também foi legal, mas esse foi o primeiro livro da diva Meg Cabot que eu não amei, e não tenho ideia do porque. Talvez seja pela escassez do Rob, ou de toda a família da Jess, ou de um pouco mais de emoção, não sei.

Amei as crianças do acampamento, elas são fofas ever, e a Jess é uma mãezona no estilo politicamente incorreto, ou seja, o melhor de todos. As partes dela com as crianças foram as melhores.

É uma leitura leve e rápida, que apesar de qualquer coisa, vale a pena. Só lembrando que é uma série teoricamente de 5 livros, ou seja, mais três. Agora é esperar pelo próximo.

O que acharam? Já leram?

Beijos!!

Laury.

[Resenha] Quando cai o raio – Série Desaparecidos – Meg Cabot

 

Não sei se já comentei, mas tenho o objetivo de ler todos os livros da Meg Cabot e pseudônimos antes de morrer, então não me crucifiquem por ver muita resenha dela por aqui, ok? 🙂 Vou sempre tentar variar com outros autores, prometo. Mas vamos lá!

Quando terminei de ler esse livro, pensei: “Será que tem como sua escritora predileta subir ainda mais no seu conceito?’ Bem, a Meg Cabot sempre consegue subir no meu.

Primeiro de tudo, tenho que dizer que adorei a Jess. Adoro mulher durona. E claro, me apaixonei pelo Rob. (Aiai) Ok, passado meu momento, falemos do livro.

“Quando cai o raio” conta a história de uma garota (Jess) que após ser atingida por um raio, consegue dizer onde as crianças da caixa de leite estão (nos EUA é onde colocam fotos de crianças desaparecidas). No início Jess não sabe bem o que fazer, então depois de confirmar que o que sabe é real, faz algumas ligações inocentes para o disque denuncia.

Até ai tudo bem, ela ajuda as pessoas e a vida continua, só que, eles rastreiam a ligação, acham ela e sua vida vira um inferno. E digamos que a vida dela já não era das mais normais. Então é a partir daí que entre os problemas da escola, poderes novos, culpa, repórteres, problemas familiares, o “amor” de dois caras e mais meio mundo de coisas, ela tenta fazer o que acha certo.

O livro além de divertido (chorei de rir ao ponto das pessoas me olharem e pensarem que eu era louca), também aborda vários assuntos interessantes como o quanto problemas psiquiátricos não são moleza, como a justiça nem sempre é justa, o quanto violência doméstica é uma coisa real que muitos decidem ignorar, e como o governo não é tão bonzinho quanto aparenta.

Acho que já compreenderam que gostei do livro, não é? Então podemos falar dos personagens. Como já disse, a Jess é durona e me lembrou a Susannah (de A Mediadora) e a Rose (de Academia de Vampiros). Parte pra porrada sem pensar duas vezes ou se importar com o tamanho da outra pessoa, não leva desaforo para casa, tem certos problemas para controlar os pensamentos maliciosos a respeito do cara que está gostando e se mete em MUITA confusão. Desculpe as pessoas certas, mas ela é meu exemplo de pessoa. hehe

Agora falemos do meu amor (podemos sonhar, ok?): Rob. Sabe o badboy, todo errado, com uma moto mara e um tanquinho de tirar qualquer garota de si? Ele mesmo! Tem como não apaixonar? Ainda mais se você não pode ficar com ele? Gostei dele no inicio e fui gostando cada vez mais durante o livro. Uiui.

Ok, voltei ao normal. Outros personagens que gostei, mas não vou falar a respeito é o Sr Goodhart, Douglas e a agente Smith.

O livro é contado pela Jess, que está fazendo um relato do ocorrido e quando se termina de ler o relato, você acredita que é um livro só, porque ao contrário de alguma séries, ele conta uma história do inicio ao fim e não te deixa frustrada pelo próximo, ainda que te dê vontade de ler, entende? E a ultima “nota” deixa bem claro que vai ter um próximo.

É isso, como disse, gostei muito do livro e recomendo, principalmente para os fãs da Meg Cabot como eu. A continuação se chama “Codinome Cassandra” e já foi lançado pela Editora Galera Record. A série tem 5 livros e ;por enquanto não sei quando sairão os próximos.

 

E aí, gostaram da resenha? Vocês também tem um quedinha (ou quedona) por badboys como eu? Curtem garotas mais duronas (caso você seja menino)?

 

Beijos,

Laury

@Maniaca_Livros