[Resenha Dupla] Mentirosos – E. Lockart

MENTIROSOSCadence vem de uma família rica, chefiada por um patriarca que possui uma ilha particular no Cabo Cod, onde a família toda passa o verão. Cadence, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat (os quatro “Mentirosos”) são inseparáveis desde os oito anos. Durante o verão de seus quinze anos, porém, Cadence sofre um misterioso acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos, tentando juntar as lembranças sobre o que aconteceu.

 

Olá, pessoal! Como vão?

Hoje eu e a Laury vamos fazer a nossa primeira resenha dupla, que eu espero que seja primeira de muitas.

Vamos ver o que cada uma pensou da estória?

Cecília

A família Sinclair, uma família tradicional e rica que tem de tudo, eles parecem ser perfeitos com suas lindas filhas, netos e netas com uma educação impecável. Eles se encontram nas férias de verão na ilha da família, então vemos que o “perfeito” não é tão perfeito. Vemos a pressão que cada personagem sofre por ter que ser um Sinclair. No decorrer da estória conhecemos a família Sinclair onde os sentimentos não são mostrados e sim escondidos, vemos isso na escrita da autora, como ela mostra as sensações que a personagem passa. A manipulação, poder, dinheiro, classe social, preconceito e suspense ronda a estória de Cadence.

Cady é uma adolescente de 18 anos que tenta descobrir o que aconteceu com ela no verão que passou com sua família. Cady tem crises emocionais muito fortes, dores de cabeça e no corpo todo, ela já não é mais a mesma menina de 15 anos, não, ela não é mais tão Sinclair. Sua aparência mudou, seus hábitos mudaram, ela sabe que aconteceu algo grave naquele verão, mas ninguém conta para ela, sejam os médicos ou a própria família. Conhecemos os “Mentirosos”, o grupo que Cadence e seus primos Johnny, Mirren e um amigo: Gat. Eles se intitularam assim no verão de seus 15 anos. Depois de um verão fora da ilha, a mãe e o avô de Cadence permitem que ela volte nas férias. Cady está determinada a saber o que aconteceu com ela no verão de 15 anos e vai atrás da verdade.

Cada um da família Sinclair tem suas farsas, mentiras e cada um quer o poder e dinheiro. A trama mostra todos os lados da família que em um sorriso, pode ter uma tristeza profunda. Sem perceber, nos envolvemos com a escrita e somo levados a querer descobrir o que aconteceu com personagem Cady.

Nossa tenho tantas sensações depois desse livro!

Bom tenho uma lista:

1- No começo é entediante, mas depois melhora.

O começo parece ser entediante mas não é, ele é envolvente de uma maneira incrível. Li em 3h30, devorei o livro e depois me acabei nele. Você quer saber, você precisa saber o que aconteceu com a Cady.

2- Nem tudo é o que parece.

Os acontecimentos vão mudando entre os tempos.

3-Dói.

Dói muito. Depois que você termina de ler, você pode chorar ou não, eu chorei.

Quando você descobre a verdade é como se fosse um baque, a escritora fez muito bem a lição de casa. Ela envolve os leitores, o suspense é incrível.

4-Pensar.

Depois que ler esse livro, você vai pensar, e pensar muito e principalmente no que uma família é capaz de fazer com as pessoas. Não só fazer, mas como o dinheiro e o poder tem força de conduzir a vida de uma pessoa.

Laury

Já vou começar dizendo que esse livro gerou discórdia. O Mentirosos já estava na minha lista de leitura desde que ganhei a versão de prova da Seguinte, mas ganhou prioridade quando a Ceci falou que tinha acabado de ler e gostado. Ou seja, ótima oportunidade para uma resenha dupla e um livro bom, certo? Mais ou menos.

Digamos que eu não gostei tanto assim desse livro.

Bem, é impossível começar essa resenha sem um palavrão, então: CARA***!

Começou tudo muito bem. Gostei das primeiras páginas, depois passei a odiar o livro e os personagens. Mas nada de mais. Anotei mil criticas para não esquecer (ainda bem que anotei, porque depois fiquei meio desnorteada) e a coisa foi ficando meio tensa, eu fiquei agoniada e desconfiada, até que… O QUE FOI ISSO?

Do nada fui atingida por um tiro no coração que eu não sabia de onde vinha. A escritora te mantém tão concentrada na família e nas criticas e no dinheiro que você não vê o quadro todo até ser tarde de mais. E preciso dizer que fiquei transtornada.

Sentimentos colocados no papel, vamos para os detalhes da coisa. Foram eles que não me deixaram gostar tanto assim do livro.

Vamos ao primeiro detalhe: Gat. Ele é sobrinho do novo namorado de uma das três filhas do nosso patriarca. Ele começa a passar os verões na ilha a partir do “Verão dos 8”, passando a ser parte do grupo de mentirosos, composto por ele, Cadence (nossa narradora) e os primos dela: Mirren e Johnny.

Vale dizer que a família Sinclair, da qual nossa protagonista faz parte, é bem tradicional e cheia de dinheiro (hello, eles tem uma ilha!), com um matriarca que quer manter a linhagem perfeita dos Sinclair. Loiros, pele clara e olhos claros. Porque ser um Sinclair é ser perfeito e educado e forte e perfeito novamente.

O Avô é de uma época que respeita tradições, de quando manter uma família era o mais importante. Com as três filhas divorciadas e não muito bem de vida (vulgo vivendo do dinheiro dele), ele quer que elas acordem, que trabalhem, que evoluam. Eu entendo isso. E entendo que a maneira dele fazer isso não era das mais ortodoxas, pois acabava jogando as irmas umas contra as outras, para ver quem ficava com o que na herança.

Essa era a forma do nosso patriarca lidar com o problema que vinham sendo as filhas e com o luto (sua mulher tinha morrido há pouco), mas Gat não entendia isso. Para Gat, o nosso patriarca e toda a família eram arrogantes. Para Gat, os Sinclair não mereciam o que tinham, eles desperdiçavam dinheiro e esbanjavam. Em suma, para ele, ter dinheiro faz de você uma péssima pessoa, porque as outras pessoas não tem o mesmo tanto que você.

Ok, os Sinclair passavam do limite as vezes, mas pequenas coisas eram transformadas em grandes pela boca de Gat. E me irritou bastante o discurso “populista” dele. Como ele se colocava como vitima por não ter o mesmo dinheiro que os Sinclair. O tempo todo ele insistia em como ele era diferente, em como nunca seria igual a Cadence, como os Sinclair tratavam ele mal… A coisa toda é: ninguém nunca tratou ele diferente, ninguém nunca disse que ele era diferente.

Cada palavra que ele dizia, para mim parecia uma tentativa alucinada dele ganhar atenção. Como se no fundo ele quisesse ser um Sinclair e não que reprovava quem eles eram.

Outra coisa que me irritou nele é o fato de que a Cadence sempre foi louca de amores por ele e ele ficava com aquela de “sou diferente, nunca seremos iguais”. Além disso, pelo amor que Cadence sentia por ele, ela acabava influenciada pelo que Gat dizia. E como se Cadence não fosse suficientemente depressiva por conta própria, ainda vinha Gat convencendo ela de que ser loira e rica era mais do que ruim, era um pecado, que ela deveria se sentir culpada de ter nascido assim. Tipo… OI? O.o

E por mais que Gat reclamasse, em momento algum eu vi ele dizendo: “Nossa, eu não tenho o tanto de dinheiro que gostaria, mas eu vou trabalhar e vou conseguir tudo o que eu quero para mim no futuro”. Em nenhum momento essa possibilidade parece cruzar a cabeça dele. E isso para mim é ser hipócrita.

Digo o mesmo para as filhas: Se você quer algo, lute por isso!

Acho que o primeiro detalhe leva a todos os outros. Principalmente ao final que me deixou conturbada.

Não vou contar o final, claro, mas na minha opinião, ele só aconteceu porque o Gat ficou enchendo a cabeça da Cady de coisas que não deveriam. Se ele não ficasse repetindo para ela como o dinheiro é mau e destrói as pessoas, como ser rico é ruim e afins, nada do que aconteceu teria acontecido. E para mim, não é o dinheiro que é ruim, as pessoas que tem ou querem ele que são.

Doar tudo que tem, não lhe transforma em uma boa pessoa e gostar de ter coisas para si e usufruir de um conforto que lutou para ter, não lhe torna uma pessoa má.

Bem, adorei a avó (nossa matriarca que é dada como morta bem no início) e também adorei a forma como a autora escreve. É uma narrativa fácil e ela tem uma característica muito bacana que vi pela primeira vez nos livros da Meg Cabot (diva mor). Ela separa as frases dos parágrafos para dar a elas mais intensidade e efeito. Simplesmente adorei.

Acho que deu para entender a discórdia, não é? A Ceci amou e eu só achei ok. E os pontos que ela mais gostou foram os que eu menos gostei. Mas é isso, o livro está sendo super bem falado e comentado e adorado. A Ceci gostou e eu nem tanto. E acho que a resenha dupla fez muito bem o seu papel de mostrar duas opiniões divergentes.

Espero que tenham gostado das resenhas e levem em consideração as duas opiniões na hora de decidir se esse é um livro para você ou não.

Já leu? Conta pra gente o que você achou.

Em breve teremos mais resenhas assim.

 

Beijos!!

 

Laury e Ceci.

[Resenha] Voos e Sinos e Misteriosos Destinos – Emma Trevayne

Olá, meus amores!

Eu sou a Bia e como sabem, sou uma das novas colaboradoras do Maníaca por Livros. Como a Laury já disse, eu sou um amorzinho e estou louca pra conhecer todos vocês. E hoje eu estou aqui pra postar minha primeira resenha no blog!

O livro que eu escolhi pra fazer minha primeira resenha foi Voos e Sinos e Misteriosos Destinos (Flights and Chimes and Mysterious Times, no original), da  Emma Trevayne, publicado no Brasil pela Editora Seguinte.

A história que eu tenho com esse livro daria outro livro. Um vendedor da Leitura (com quem sempre converso por horas quando vou lá) me mostrou esse livro e disse que estava curioso para lê-lo. Fiquei encantada com a capa e sinopse e o livro entrou na minha lista de desejados.

Porém, naquele dia, eu era uma mulher com uma missão: ir a livraria e comprar um livro pra dar de presente de aniversário e nenhum pra mim. Minha estante está lotada de livros não lidos e não dá pra se orgulhar disso. Não comprei naquele dia, mas a Black Friday chegou e eu não tive como não comprar.

Comprei e mesmo depois de horas admirando a capa, ainda não consegui superar o quanto ela é linda. E ainda tem ilustrações incriveis! Meus parabéns aos responsáveis. Na verdade, não estou sendo muito justa, já que o livro todo é lindo e tem edição impecável.

A história conta uma aventura de Jack Foster, um menino rico e entediado da Londres de 1899. Ele passa a maior parte do ano em um internato para meninos e mal vê os pais quando está em casa, já que seu pai está sempre trabalhando e a mãe sempre envolvida com seus compromissos sociais.

Jack, depois de conhecer um homem misterioso que queria lhe ensinar magia, entra para um mundo que era ao mesmo tempo semelhante e completamente diferente do seu. Londinium é cheia de nuvens fuligem, engrenagens e de pessoas estranhas.

O livro, que é uma obra do gênero Steampunk (distópia tecnológica gótico-vitoriana, farei um post sobre isso depois), traz personagens incomuns e modificados pela ciência, com braços e olhos mecânicos, ou simplesmente criados pela ciência, como a menina Beth, que ainda não sei se é um robô ou uma boneca fofa de laço no cabelo.

Voos e Sinos e Misteriosos Destinos é um conto de fadas moderno, por assim dizer. Todos os elementos da fantasia estão ali: aventuras, uma Rainha louca, um vilão misterioso e um herói que faz amigos durante seu percurso. É um livro que merece ser lido e que compensou toda a minha espera.

Espero que tenham gostado da minha resenha. Até a próxima!

Beijos de luz,

Bia

[Notícias] Escolhida capa de “The One”, último livro da série A Seleção!

Olá! Como vão?

E a Editora Seguinte continua sendo uma editora muito legal que ama seus leitores e que por isso lançará o ultimo volume da série A seleção juntinho com os EUA! o/

Já quase arrancaram minha cabeça 500 vezes no blog por causa da série e o fato da minha pessoa achar que ela poderia ser mais, muito mais do que realmente é, mas isso não muda o fato de que eu quero o último livro. Na verdade me faz querer mais, por acreditar que agora vai! Ao menos é a ultima chance que ele tem de ir.

Mas enfim, vamos conhecer a capa?

Eu achei a capa muito DIVA! ❤ Adorei o vestido (será que é de noiva?).

The One (“A Escolhida”) será lançado em maio! E em fevereiro sairá “The Selection Stories” (com aqueles “contos” que ela lançou separadamente sobre a estória). 

Confiram também os bastidores da sessão de fotos que deu origem a capa! 😀

.

E ai, ansiosos? Gostaram da capa?

Beijos!

Laury.

[Lançamentos] Segundo Semestre Editora Seguinte

Lançamentos

Olá!! Como vão?

Bem, a Editora Seguinte é um selo novo (acho que já disse isso aqui antes), mas vem conquistando cada vez mais nós leitores (pelo menos a mim). Meu amor por ela já cresceu quando descobrir que ela iria lanças Bloodlines aqui no Brasil e com pouco intervalo de tempo.

Mas uma das coisas mais legais talvez seja a apresentação de novidades deles. Eu coloquei aqui o vídeo do primeiro semestre e agora vou colocar o do segundo. E no vídeo cada pessoa fala um pouquinho sobre uma das novidades, e eu acho simplesmente o máximo a forma como fazem isso. Mas ok, chega de falar.

Sejam  felizes com o vídeo. 🙂

E ai, o que acharam?

Beijos!

Laury.

 

[Novidades] Já a venda primeiro livro da série Bloodlines da Richelle Mead

Novidades

 

Olá! Como vão?

Hoje vim falar de uma autora que AMO. Richelle Mead, de Academia de Vampiros.

Não tem ideia do que eu estou falando? Bem, você só precisa saber que é uma série maravilhosa que você precisa ler. Não acredita? Então conheça Dimitri e você mudará de ideia. 😀

Mas voltando, a dona Richelle, depois que terminou a série, fez meio que uma “continuação” dela. Mesmo mundo, personagens que já conhecemos que antes eram plano de fundo, agora viram principais. Vulgo spin-off. E essa “continuação” é a série Bloodlines. Ainda não li nenhum livro, mas li a série original e espero que seja tão bom quanto.

E apesar de a linda Agir não ter lançado o ultimo livro de Academia de Vampiros, a Seguinte já está lançando o primeiro de Bloodlines. E meu único conselho é: se você não leu o ultimo de VA, pelo amor de Deus, não leia o primeiro de Bloodlines, porque ele tem um spoiler monumental. É sério! E se não quer esperar a Agir, procure na internet que você irá achar, eu achei. 🙂

Mas voltando ao principal. Bloodlines. A Seguinte é linda, e merece meu respeito ever. Já mostrou a capa dos 3 primeiros livros e liberou o primeiro capítulo de degustação para nós.

bloodlines

E… Laços de Sangue já está a venda!

Confiram o primeiro capítulo e sejam felizes! 😉

Beijos!

Laury.

 

[Resenha] A Elite – Kiera Cass

A Elite - Kiera Cass.

 

Olá! Como vão?

Faz Eras que não tem uma resenha por aqui, não? Desculpe, é que anda tudo muito corrido. Mas enfim, o livro de hoje é o segundo da série a Seleção, que já teve o primeiro livro resenhado aqui. E sim, eu sei que a foto é da capa americana, mas não achei nenhuma decente da capa brasileira e como elas são iguais, só mudando o nome, pensei “por que não?”.

Mas vamos a resenha!

Essa série definitivamente me irrita. Não é ótima, nem é péssima, tem uma capa legal, uma diagramação boa e uma propaganda melhor ainda, ou seja, o livro é comercial. Minhas enormes desculpas aos fãs fervorosos da série, mas ela é isso. É um livro feito para vender e que a propaganda faz vender, assim como foi Cinqüenta Tons de Cinza. Quer melhor exemplo de propaganda? O livro é péssimo, tem um vocabulário péssimo, mas em todo lugar que você ia, ta lá alguém lendo. Sim, eu comecei a ler, mas não consegui chegar ao fim.

Mas voltando a A Elite. Talvez o que mais me mate na série seja a esperança que ela me dá. O primeiro livro eu li, gostei, mas o final de irritou profundamente e terminei esperando mais. Leio várias e séries e algumas por mais que eu ame, não compro a continuação assim que lança, mas fiz isso com essa, sem eu amar a série por simples esperança e curiosidade, rezando, implorando para que a autora fizesse algo realmente memorável. Porque sinceramente, acho que não se pode fazer uma trilogia focada apenas em um triangulo amoroso.

Nesse momento os fãs vão discordar falando que não, que é uma distopia, tem foco no castelo, nas revoltas e blábláblá, mas sinceramente? Não tem! As vezes parece que vai ter e você fica toda empolgada, mas nada, voltamos ao foco do triangulo amoroso. Se você me perguntar o que aconteceu nesse livro, a minha resposta vai ser: nada de importante.

Apenas uma garota foi “eliminada”, ou seja, ainda tem cinco meninas na competição. Não descobrimos muita coisa sobre a revolta, apenas o básico do básico. E tivemos acesso a um pouquinho da vida da família real. Mas o que isso significa? Nada. Todo o livro 1 e 2 poderiam caber dentro de um único livro. Desculpe mesmo quem amou o livro, mas terminei de ler com a sensação de que não tinha lido nada, não tinha acrescentado nada a história.

Sim America é uma boa personagem, sim ela tem momentos memoráveis, sim eu amo Maxon, sim eu amo Aspen, mas três livros com foco nos dois não dá! Em algum momento o plano de fundo tem que se tornar mais do que um plano de fundo e sim parte da estória. Romance só de romance é admissível quando ocupa um só livro e não uma série toda.

Agora, contrariando toda a minha critica, o livro teve momentos bons, o livro é bom, mas não é bom como conjunto. Ri em algumas partes, fiquei com pena/triste em outras, e cheguei a falar “que gracinha” para algumas, mas não foi extraordinário. Não é meu top10 de livros, me irrita profundamente, mas eu não deixaria de recomendar. E nem vou deixar de comprar o livro 3 (The One), o que me irrita mais ainda.

E apesar de alguns momentos de dúvida no decorrer do livro, terminei continuando sendo Tean Maxon e entendendo todas as burradas que ele faz e fez.

Bem, é isso, a série A Seleção me irrita por ser um livro comercial, feito para vender, mas querendo ou não funciona, só não pode se pedir algo extraordinário da série ou da autora, sinto muito. Pode ser que eu mude de idéia com o ultimo, mas por enquanto essa é minha opinião.

 

O que vocês acham dos livros? Já leram?

 

Beijos!

Laury.

[Notícias] Fãs brasileiros vão ganhar A Seleção autografado

the selection

Olá pessoas lindas! Como vão?

Parece que a Editora Seguinte resolveu inovar. Bem, pelo menos eu considero isso uma inovação.

Como não podem trazer a autora de A Seleção para o Brasil, pelo menos por enquanto (pelo que me parece ela tem medo de avião, mas não tenho certeza), eles resolveram trazer seu autografo.

Foram enviados 15 livros para ela autografar e eles serão mandados de volta e pelo que diz o The Selection BR, os livros serão sorteados nos encontros de A Seleção aqui no Brasil.

Eu achei super, mas o triste é que são 15 livros, ou seja, nem todos os estados vão ganhar evento e livro. E como eu moro em um estado esquecido pelo mundo literário, tenho sérias dúvidas se algum desses livros irá aparecer por aqui. :/

O que vocês acharam da ideia da Seguinte?

Foto e informações retirados de The Selection BR.

Beijos.

Laury.