Bienal pra quê?

Bienal, pra que

Nesse momento passamos por mais uma Bienal do livro (que eu infelizmente não pude e não irei comparecer) e uma pergunta ronda a minha mente: “Bienal pra quê?

Lembro que ano passado em véspera de Bienal de SP, um grande veículo de circulação divulgou um artigo “contando” o quão obsoleta era a Bienal em um mundo que respira tecnologia e até mesmo os livros deixam de ser de papel (<3) e passam a ser digitais. Foi critica em cima de crítica e a pergunta que se tira disso é: A bienal realmente está obsoleta?

Sabe, se fosse há alguns anos atrás e eu não tivesse todo o contato com livros que tenho agora, eu diria sim, a bienal é um evento obsoleto para o qual não há mais espaço em nosso cada vez mais tecnológico século XXI. Mas não são anos atrás, é o agora. E com certeza eu posso dizer: A bienal é atual! Mais do que isso, é o grito da literatura. E ela grita: EU SOBREVIVI!

Ano passado viajei de Goiás à SP para a Bienal com mapa, cronograma e tudo que se é necessário para aproveitar bem uma Bienal e lá eu tive ainda mais certeza disso.

Em época de Bienal todo mundo é leitor. Aquela pessoa que nunca pegou em um livro fora da escola sente curiosidade, aquele que sempre viu tédio nas letras fica alucinado com todo o burburinho e como em um passe de mágica enchemos espaços gigantes com um único propósito: prestigiar a literatura.

Existe o comércio, o capitalismo e interesse. Mas também há a arte, o carinho e os sorrisos.

Pessoas entram perdidas, caminham tímidas pelos corredores e dali até o final do dia tem pelo menos um livro em mãos de volta para casa. Os preços são menores, os escritores sorridentes e o ambiente alucinante. Bienal é contagiante, é tanto amor junto que conseguimos levar aos jornais esse tema “obsoleto”. Por duas semanas livros estampam capas de revistas, tem seus 15 minutos de fama no jornal e cara, os blogs literários bombam. As pessoas simplesmente descobrem quem ainda existem livros! Sabe aquele objeto as vezes pequeno, as vezes grande, com páginas de cheiro sem igual e capazes de nos levar do riso as lágrimas em um piscar de olhos? Pois então, eles ainda existem! E eles ainda são capazes de nos transportarem para mundos mágicos.

Adultos relembram sua infância e a época que ainda escutavam estórias para dormir, crianças fazem novos amigos e nós, que todos os dias nos cercamos de livros, nos encantamos cada vez mais. E então, em cada sorriso de uma criança que ganha seu primeiro livro, em cada brilho no olhar de quem já esqueceu o que é sonhar, eu respondo é pra isso que existe Bienal.

Bienal existe para sonhar, para ao menos uma vez no ano lembrar as pessoas que por mais que elas tenham sido negligentes o ano todo, elas ainda podem comprar um livro e se perder em suas páginas, ter ao lado um amigo que não se importou com a sua ausência, mas que está feliz de tê-lo de volta. Existe para relembrar a infância. Para mostrar que um livro pode mudar sua vida.

E existe principalmente para acreditar. Acreditar que toda tecnologia pode ir e vir, mas que um bom livro sempre vai permanecer, ele e suas páginas amarelas que nos transportaram para lugares distantes onde sempre existirá o “felizes para sempre“.

Fazia tempo que não escrevia algo para o blog que não fosse resenha ou notícia, e eu senti falta, então resolvi escrever esse texto para vocês. E queria saber, o que acham da Bienal. Capitalismo ou Literatura?

Beijos!

Laury

[Bienal do Rio 2013] Lançamento de Quero ser Beth Levitt

bienal rio cobertura

Pensa em alguém que morre de inveja de quem irá na Bienal! Eu! o/

Outro acontecimento lindo que foi confirmado foi o Lançamento de Quero ser Beth Levitt da fofíssima da Samanta Holtz. Com direito até a chaveiro gente! ❤

Quem assim como eu não vai poder ir na Bienal, aproveite que está em pré-venda na saraiva. Eu já comprei o meu e estou torcendo para por um milagre de Deus a Samanta vir fazer um lançamento na minha cidade ou aqui perto (vulgo Brasilia). kkkk

E se vocês ainda não conhecem a Samanta, leia a entrevista dela aqui no blog!!

Samanta Holtz

Beijos!

Laury.

[Bienal do Rio 2013] Agenda de autógrafos Novo Século

bienal rio cobertura

Olá! Como vão? Esse é o primeiro post oficial da nossa cobertura a Bienal do Rio! Confiram a agenda da Editora Novo Século!Logo Novo Seculo

30/8 – sexta-feira

13h – Camila Dornas (A Linhagem)

14h – António Cortês (As faces do amor)

15h – Marcel Simões (Al-Aisha e os esquecidos)

16h – Bruna Camporezi (Os segredos de Landara)

18h – Flavia Simonelli (Ausência)

20h – Mari Scotti (Híbrida – neblina e escuridão)

31/8 – sábado

15h – Marco Luque (lançamento do livro Jackson Five)

1/9 – domingo

13h – Felipe Colbert e Lu Piras (A última nota)

14h – Laura Conrado (Só gosto de cara errado)

15h – Bento de Luca (Lançamento do livro O príncipe gato e a flor cadáver)

16h – Renan Carvalho (Supernova – o encantador de flechas)

17h – Renata Ventura (A arma escarlate)

18h – Samanta Holtz (Lançamento do livro Quero ser Beth Levit)

2/9 – segunda-feira

11h – Denise Flaibam (Os mistérios de Warthia)

3/9 – terça-feira

14h – Mila Wander (Meu conselheiro de luz)

16h – Beatriz Cortês (O outro lado da memória)

4/9 – quarta-feira

14h – Leonardo Barros (Presságio – o assassinato da freira nua)

15h – M. K. Takenaka (Demônios da noite)

5/9 – quinta-feira

10h – Fernanda Belém (Louca por você)

14h – Bruno Godoi (O grito vermelho)

15h – Willian Donadon (A lenda de Högni)

16h – Kizzy Ysatis (O clube dos imortais)

17h – Leonardo Faig (Jesse Chesnutt)

19h – Alessandro Alcantara de Mendonça (Era uma vez 1986)

6/9 – sexta-feira

11h – Manoel Fernandes (A menina do quarto escuro)

12h – Ana Macedo (Lágrima de fogo)

13h – Matheus Marx (Chamado das sombras)

14h – Marcelo Marrom (Lançamento livro Fé demais)

17h – Lilian Reis (Eu, meu pai e meus outros amores)

18h – Adriana Brazil (Inverno de cinzas)

19h – João Roberto F. Franco (Conspiração)

20h – Ricardo Valverde (Quem sou eu afinal)

7/9 – sábado

12h – Helena Andrade (Despertar)

13h – Cris Motta (Baroak – a estrela)

14h – Ricardo Ragazzo (A garota das cicatrizes de fogo)

15h – Gabriel Schmidt (A ordem perdida)

16h – Lycia Barros (Lançamento do livro Uma herança de amor – o plano perfeito)

18h – Rosana Jatobá (Lançamento do livro Questão de pele)

8/9 – domingo

13h – Jeronimo Mariano (O resgate das profecias)

14h – Leticia Black (Contos de uma fada)

15h – Maurício Caldeira (Visões Noturnas)

Na última Bienal passei a maior parte do tempo no estande da Novo Século, então super recomendo! Tem autor lá o tempo todo e a todo o momento você tem alguém para conversar, pegar autógrafo, tirar foto… Super recomendo!!

Para acompanhar mais acontecimentos da Bienal do Rio de 2013, clique na barra ao lado, nesse banner:

cobertura bienal 2013

Espero que gostem!!

Beijos!

Laury.

Bienal do Rio 2013

E um dos maiores eventos literários está chegando!!

XVI-Bienal-do-Livro-do-Rio-de-Janeiro

Meus Deus, só a palavra “Bienal” já me faz tremer as bases! Há um ano o blog surgia e junto com ele a minha certeza de que eu iria na Bienal de SP. Fiquei semanas acompanhando cada detalhe, cada novo autor confirmado, cada novo lançamento anunciado… Nossa, eu estava nas nuvens por saber que eu iria. Minha visita seria no segundo final de semana e quando tudo começou, eu surtei! Era o dia todo na internet, vendo fotos, acompanhando tudo e imaginando que eu estava lá.

Quando minha viagem chegou, foi belo! Basicamente tudo deu errado, mas quando meus pesinhos tocaram o chão da Bienal, nada mais importou, nem mesmo todos os percalços lá de dentro, afinal, eu estava na Bienal! Conheci autores, livros, editoras… descobri que literatura nacional é tão mágica quanto a que vem de fora, algumas vezes até mais. Ano passado minha visita a SP foi um marco. Foi eu tendo certeza que queria o blog e tendo certeza que amava os livros e todo o universo que os cercava.

bienal-livro-rio

Bem, esse ano a Bienal é no Rio e desdo ano passado eu já sabia que não iria (minha mãe se renega a me ver na cidade e basicamente acredita que o Rio é a cidade mais perigosa do Brasil), mas agora com tudo mais próximo o fato de eu não ir está ficando “real” e eu surtando com cada notícia. Mas nós temos que superar, certo?

E da mesma forma que eu não estarei lá, muitas pessoas também não vão. Então, da mesma forma que fiz ano passado antes de viajar, vou fazer esse ano. A partir desse momento o blog terá um foco mais legal no que está acontecendo e em tudo que está sendo programado. Ou seja, nós teremos uma cobertura da Bienal, da melhor forma que for possível fazer isso sem estar lá. Os posts normais do blog não irão parar, mas vez ou outra surgirão fotos e programações. E espero que quem não possa estar lá, sinta um pouquinho de tudo o que está acontecendo. E quem estará poderá pegar algumas dicas do que vai estar rolando.

Estamos combinados, então?

Minha pessoa surta de saudades da Bienal de SP agora, mas ok.

Vocês gostaram da ideia de fazer uma “cobertura” da Bienal do Rio?

Beijos!

Laury.