[TCeB] Não gostei do livro… E agora?

Não gostei do livro

Olá, meus queridos! Como vão?

O mundo literário é mais movimentado que feira. E essa semana a feira pegou fogo. Motivo? Resenhas negativas (entre outras coisas que comentaremos depois). Pode parecer bem banal, e de fato é, mas pode virar um grande reboliço quando as pessoas não conseguem aceitar a opinião alheia.

*Antes de começar o post queria dizer que NÃO ESTOU CITANDO NOMES (pelo amor de Deus!) e isso aconteceu com várias pessoas e não só com uma, ok? Obrigada.

Primeiro de tudo, como autora E blogueira, eu acho que quando você escreve algo, ou faz qualquer outra coisa que se tornará pública, você precisa aprender a lidar com as críticas. Precisa mesmo! É necessário. Porque acredite, sempre vai existir uma crítica. Sempre. Alguém não vai gostar do que você faz e vai falar isso, porque ela está no direito dela de falar. Porque pelo menos da ultima vez que verifiquei, nos ainda vivíamos em um país livre e sem censura. Vai ver mudou e não fiquei sabendo.

Mas enfim.

Eu acho a coisa mais sem noção e educação do mundo você fazer chilique porque recebeu uma critica. Porque pra mim, algumas coisas que aconteceram essa semana foram chilique, birra ou mimimi. Se você recebeu uma resenha negativa, eu acho de bom grado você comentá-la, afinal você não tem que dar atenção apenas para aquelas pessoas que gostam do que você escreveu. Mas quando eu digo comentar, eu digo falar algo como “Que pena que você não gostou, espero que o próximo lhe agrade mais.”. Ou explicar algo que a pessoa ficou em duvida em relação ao livro. Mas nunca, NUNCA, falar “Você é uma idiota por não gostar do meu livro”, ou coisas assim. Pior ainda, incitar pessoas a fazer isso por você ou criar perfil fake para fazer isso.

Pense o seguinte: Você tem uma carreira! Você pode não ter gostado da resenha, pode até ter achado ela exagerada ou ofensiva, ou qualquer coisa assim. Mas não cabe a você dizer o que a leitora deve gostar ou não. E fica feio fazer chilique. Preste atenção: ADULTOS NÃO FAZEM CHILIQUE! Você quer ser visto como uma criança? Você quer que o seu trabalho seja visto como infantil? Tenho certeza que não. Então, seja educado, sensato e adulto. Eu mesma deixo de ler livros de autores que fazem cena.

E vocês perceberam que eu desviei do título da postagem, né? Eu sei, sou péssima em manter o foco! Mas agora vou tentar concentrar e falar do que nós blogueiros devemos fazer quando não gostamos de um livro.

Leu um livro e não gostou? FALE ISSO! Exatamente. Conte a sua opinião para o mundo. Acho a coisa mais ridícula alguém chegar a pensar na possibilidade de não escrever uma resenha porque não gostou do livro. Gente, seus leitores querem a sua opinião. Seja ela positiva ou negativa, ela é a sua opinião. E você tem o direito de não gostar de algo e dizer que não gostou!

Um blog que fala bem de todos os livros, e acha todos eles fantásticos e sem nenhum defeito… Meu amor, tem alguma coisa errada aí. Você quer me convencer que você simplesmente amou TUDO em TODOS os livros que leu?

Desculpa, mas não acredito.

Essa opinião pode ser meio radical, mas se você não tem coragem para dizer que não gostou de um livro, não crie um blog. E pior que não fazer resenha de um livro que não gostou, é falar que gostou de um livro que na verdade não gostou.

Cara, não consigo. Quando eu leio um livro e não gosto dele, eu paro, respiro e repenso toda a estória. Penso em porque eu não gostei, se foi a escrita, os personagens, a construção… E depois de pensar em tudo que não gostei, eu penso no que pode ser aproveitado. Então eu coloco esses dois lados na resenha. E quem ler a resenha, decide se quer ou não ler aquele livro. Super simples.

E para não dizer que sou hipócrita, queria deixar claro que já deixei de fazer resenha sim, porque não gostei do livro. E nessa lista eu coloco dois livros. Por quê? Porque eu simplesmente ODIEI os livros. Sabe quando você odeia algo com todas as suas forças e quer queimar aquilo porque você não consegue acreditar em como aquilo foi colocado no papel e como alguém pode considerar aquilo um livro? Então. Foram esses casos. Casos em que eu sabia que não conseguiria tirar nada de bom do livro e que acabaria fazendo uma resenha ofensiva ao invés de negativa.

Mas queria deixar claro que não me orgulho disso.

E aproveitando o momento “admitindo os erros”, queria dizer que já entrei em briga de blogueiro e autor por causa de resenha negativa. Isso nos primeiros meses do blog, por puro impulso e sabe Deus pelo que mais. E só digo uma coisa: Me arrependo mortalmente até hoje. Então se você é desses que se mete em briga por causa de opinião dos outros e porque sua autora pediu ou coisa parecia, me escute: PARE COM ISSO! Você irá se arrepender. E feio. E dependendo do grau da coisa, não poderá fazer nada para mudar a sua imagem ou fazer as pessoas esquecerem o que você disse.

Seja moderado. Pense antes de fazer. Seja maduro. Seja adulto. Seja sincero. Seja verdadeiro. E nunca deixe de dar a sua opinião por medo do que vão dizer. A opinião é sua. O blog é seu. Não se reprima no seu próprio espaço.

Não gostou? Conte. Explique. Mas seja educado.

Falaram mal do seu livro? Leia. Absorva o que tem de produtivo. Siga em frente. Melhore. Sorria.

É isso, amados. Relembrando que não citei nome nenhum, mas levem isso para a vida. Vocês serão mais felizes assim. Prometo.

E aí, quem acompanhou os babados da semana? O que achou de tudo? O que pensa sobre as resenhas negativas?

Beijos!

Laury

[TCeB] Quem disse isso? Você sabe?

quem-disse-isso

Olá! Como vão?

A matéria é antiga, mas o questionamento é válido. E a pergunta é: você seria capaz de descobrir o sexo do escritor apenas lendo um trecho de um escrito dele? Parece meio ridículo, certo?

Pois essa questão foi levantada novamente após uma suposta declaração de um ganhador do prêmio Nobel de literatura. A declaração não merece ser reproduzida aqui, mas eu gostei da pergunta e peguei os trechos usados pela Veja (Sérgio Rodrigues – Todoprosa) para fazer o teste com vocês, o que acham?

Nos próximos parágrafos terão dois homens e duas mulheres. Leiam o trecho, pensem sobre se quem escreveu é homem e mulher. Para saber a resposta, basta selecionar o nome escrito logo abaixo que estará em cor branca para não acabar com a graça do desafio. Combinado?

Eu disse que ateus e crentes fazem parte do mesmo grupo. Todos acreditam em algo. Todos podem dormir e roncar tranquilos, amparados no estofado de alguma convicção. O teor da certeza não faz a menor diferença. Basta ter certeza e estão todos no mesmo barco. Miseráveis são os que não estão em barco nenhum. Não sei se Deus existe. Não tenho certeza de nada. Vou morrer sem saber. É, vou morrer. Oração universal, imemorial. Morreremos. A palavra que nos une. O único verbo que tenho a humildade de conjugar na primeira pessoa do plural.

(Romance “Esperando Zilanda”, da autora estreante Tamara Sender)

Um aquário de águas sujas, a noite e a névoa da noite onde eles navegam sem me ver, peixes cegos ignorantes de seu caminho inevitável em direção um ao outro e a mim. Pleno inverno gelado, agosto e madrugada na esquina da loja funerária, eles navegam entre punks, mendigos, neons, prostitutas e gemidos de sintetizador eletrônico – sons, algas, águas – soltos no espaço que separa o bar maldito das trevas do parque, na cidade que não é nem será mais a de um deles. Porque as cidades, como as pessoas ocasionais e os apartamentos alugados, foram feitas para serem abandonadas – reflete, enquanto navega.

(Abertura do conto “O rapaz mais triste do mundo”, do livro “Os dragões não conhecem o paraíso”, de Caio Fernando Abreu)

Lisboa é cheinha de gente e tem muito a ver com o Brasil (que novidade!). Bem, eu digo isso comparando aos outros países, onde você não vê tantos mendigos, tanta desorganização no Correio para telefonar para outras cidades ou o exterior e muito menos a mistura de carros e lojas que há por aqui. Tem DKW dos mais barulhentos, com aquele cheiro de gasolina saindo, ao lado de um Renault novinho em folha. Lembra um pouco Atenas. E aqui você pode distinguir com mais rapidez um homem pertencente à classe burguesa (digo, um capitalista) e um proletário (um operário ou um camponês). Isso sem dúvida, como no Brasil, e diferente do que acontece na França.

(Romance “Olhos secos”, de Bernardo Ajzenberg)

Evidentemente, o jornal do meu pai foi fechado antes de se transformar em um conglomerado da comunicação. Ao mesmo tempo, as sucursais da Última Hora eram incendiadas em todo o país e a situação ficou complicada para a esquerda. Meu avô entrou em cena e aplicou aquele que tem sido o lema dos Sampaio, desde tempos imemoriais: quando a coisa ficar preta, saia rápido o bastante para não parecer afronta e devagar o suficiente para não caracterizar covardia. De acordo com esta máxima, que vem nos conservando a vida há várias gerações, meu pai foi devidamente escondido em algum lugar de Santa Catarina, de onde voltou três anos depois.

(Romance “As pernas de Úrsula e outras possibilidades”, de Claudia Tajes)

E então, acertaram? Eu acertei apenas a metade e me considero uma vitoriosa. E tenho uma opinião um pouco polêmica sobre o assunto. Não acho que homem ou mulher seja melhor na hora de escrever, mas admito que eles escrevem de forma diferente (o que não poderia deixar de ser, claro) e que as vezes, determinados assuntos, quando não trabalhados adequadamente, ficam forçados nas palavras de uns e de outros. Quando falo isso tenho dois exemplos disso que me saltam a cabeça, dois exemplos de assuntos que ficaram forçados, e um exemplo de um assunto que ficou muito bem trabalhado (um “assunto feminino” tratado por um homem).

Mas bem, não vamos falar sobre isso. Só sei que uma coisa eu sei reconhecer com certeza absoluta: Meg Cabot. Quase sinto o cheiro dela quando leio o texto. A única escritora que já conseguiu me confundir nesse aspecto foi a Carina Rissi, que escreve muito parecido (talvez por isso goste tanto dela).

Mas e ai, como se saíram? Acertaram muito? Quem vocês conseguem reconhecer com uma olhada só?

Beijos!

Laury

[TCeB] Como seriam as princesas da Disney se elas existissem?

Textos contos e blablabla 2

Olá, bonitos! Como vão?

Hoje eu vim trazer um pouco de blablablá para vocês! Porque a vida não é feita apenas de coisas sérias. 😀

Bem, quem não ama a Disney? Eu sei que eu amo. E sou louca pelos Contos de Fadas e as princesas (A Bela é minha preferida da vida ❤ ), então quando vi essa produção foi impossível não amar.

Você já imaginou como seriam as princesas se elas realmente existissem? Pois esse site de entretenimento também pensou e apresentou como as princesas seriam, e para isso fizeram estudos das roupas e do costume em geral da região e época onde se passam as estórias.

Não é o máximo? Confiram o vídeo!

E então, o que acharam? Qual a preferida de vocês?

Beijos!

Laury

[TCeB] Leia antes do filme: Nas telonas em 2015 (part 1)

Textos contos e blablabla 2

Olá, povo bonito! Como vão?

Como eu já tinha mencionado em um post anterior com a minha lista de filmes para 2015, esse ano vai ter muitas adaptações. E se vocês forem como eu, algumas coisas vocês irão querer ler antes de ver. Então que tal conferir o que será adaptado?

Eu dividi em duas partes (até o momento) e nessa primeira eu coloquei só aquelas adaptações que tem trailer. Algumas estão MUITO próximas, mas confie em mim, dá tempo de ler. Mas chega de enrolação e vamos lá.

Simplesmente Acontece ❤ (05/03)

Talvez esse seja o filme que eu mais esteja esperando e morrendo por ele. Definitivamente contando os segundos e morrendo de medo de a adaptação ficar ruim, porque a estória dele é simplesmente perfeita. E esse ator… Prefiro nem comentar. ❤

divisão

Uma longa jornada (09/03)

divisão

Insurgente (19/03)

divisão

Criança 44 (07/05)

Na União Soviética, um agente da MGB investiga uma sequência de assassinatos de crianças, mas acaba descobrindo ligações dos casos com pessoas importantes do Partido Stalinista.

divisão

Perdido em Marte (26/11)

divisão

No Coração do Mar (03/12)

divisão

Maze Runner – Prova de Fogo

divisão

Inherent vice (Vício Inerente)

O novo longa dirigido por Paul Thomas Anderson conta a história de um detetive particular que investiga o sequestro de um bilionário latifundiário. Joaquin Phoenix interpreta o protagonista da história, papel que quase foi de Robert Downey Jr. Adaptação de livro homônimo de Thomas Pynchon.

divisão

Livre

Após a morte de sua mãe, um divórcio e uma fase de autodestruição repleta de heroína, Cheryl Strayed (Reese Witherspoon) decide mudar e investir em uma nova vida junto à natureza selvagem. Para tanto, ela se aventura em uma trilha de 1100 milhas pela costa do oceano Pacífico.

divisão

Bem, até o momento essas são as grandes adaptações.

Por qual você mais está esperando? Qual seu favorito?

 

Beijos!

Laury

[TCeB] Lanches preferidos de 9 escritores famosos

Textos contos e blablabla 2

Olá! Como vão?

Eu como escritora digo: nós comemos muito! Principalmente quando a página está em branco e você não tem ideia do que escrever nela. Agora, você já parou para pensar no que os seus autores favoritos comem ou bebem enquanto escrevem? Um site fez uma lista de 9 escritores famosos e seus lanchinhos, vamos conferir?

AGATHA CHRISTIE

A rainha dos policiais basicamente passava o dia comendo chantilly. Sabe aquela camadinha que colocamos em cima de um bom Cappuccino? Ela comia só a cobertura. E de lanche ela comia scone (um pão rápido, ou seja, sem fermento e de origem escocesa) com um recheio que fica entre o chantilly e o creme de leite. Só que ela basicamente dispensava os pães. Só fico me perguntando como ela conseguia controlar o peso.

VICTOR HUGO

Se você acha que comer chantilly o dia todo é estranho, vai ficar chocado (e meio enjoado com o que Victor Hugo tomava todas as manhas. Ele enchia sua caneca de café e antes de bebê-lo colocava dois ovos crus lá dentro. Só de pensar nisso meu estomago não fica muito bem.

HONORE DE BALZAC

Você acha que gosta de café? Que não consegue viver sem? Então entre para a fila, porque você acabou de ser superado por esse cara. Ele bebia uma média de 50 xícaras de café por dia. Sim, 50. E ainda mastigava grãos de café para manter a cafeina bem presente no sangue. A coisa era tão tensa que às vezes ele precisava entrar em uma dieta que só bebia leite para o estomago dele parar de doer um pouco. Sente o nível do cara.

JOHN STEINBECK

O cara vivia de feijão e canjica. É isso. Uma lata de feijão e uma lata de canjica. Só me pergunto de onde veio essa ideia dele.

MICHAEL CRICHTON

Uma pessoa normal no meio de alguns loucos. Ele come um sanduíche de presunto e queijo enquanto escreve suas novelas. E sua maior loucura é deixar esse sanduíche esperando na geladeira pelo momento certo, junto com latas de coca. Bem normal o cara.

DANIEL HANDLER (Lemony Snicket)

Ele eu não posso condenar, porque também já tive essa fase, mas adivinha o que ele come! Acertou quem disse cenoura crua. Sim, muita cenoura crua e muita água. E acreditem quando eu digo que cenoura crua é muito amor.

STEPHEN KING

Nosso King é bem normal também, mas um cadinho gordo. Ele bebe chá toda manhã, mas também gosta de comer cheesecake antes de começar a trabalhar. Eu entendo o ponto dele, porque cheesecake é divino, mas será que ele já viu quantas calorias tem aquilo? O.O

EMILY DICKINSON

A mulher amava pão. Ela fazia pão todo santo dia. E se isso não é amor, no mínimo é vício.

H. P. LOVECRAFT

Sabe quando a pessoa é magra de ruim? Pois então, o nosso amigo era apaixonado em macarronada, mas principalmente em queijo. Além de fazer uma montanha de queijo sobre o macarrão, ele comia um pedaço de queijo todas as manhãs, acompanhado de rosquinhas. E ele era magro.

Então, o que acharam de conhecer as peculiaridades culinárias desses escritores? Eu achei o máximo, fez eu me sentir bem normal.

Beijos!

Laury.

[TCeB] Filmes para 2015

Textos contos e blablabla 2

Olá, povo bonito! Como vão?

Não sei se vocês também perceberam, mas 2015 parece que vai ser um ano muito movimentado no ramo dos filmes. Parece brotar trailer de filme novo todo dia e eu estou me perdendo no meio de tanta coisa. E é para me localizar e localizar vocês, que resolvi fazer esse post com alguns dos filmes que quero ver esse ano. Vale lembrar que as adaptações não vão entrar nessa lista, porque depois quero fazer uma lista só para isso.

Sniper Americano

Sabe aquele filme que você não tem ideia do que se trata, mas que você quer ver? Pois então. Sei que é na guerra, sei que tem ator bonito e sei que tem romance. Agora junta isso com esse trailer que me deixou SUPER TENSA. Eu preciso assistir isso.

O Destino de Júpiter

Eu vi já vi esse trailer umas trocentas vezes no cinema. A primeira eu achei legalzinha, mas com o passar do tempo fui ficando ainda mais interessada. E por algum motivo o trailer me traz uma certa nostalgia, então eu preciso desse filme. Isso sem falar do ator GATÍSSIMO e que eu amo.

Peter Pan

Assim, eu sempre serei apaixonada por aquela versão que tem um Peter Pan lindo de morrer, mas não vejo mal nenhum em dar uma chance para essa versão. Principalmente porque nessa nós temos um Capitão Gancho de matar. E a música do trailer? OMG! Eu amo essa música!! ❤

Jurassic Park 4

Fui fã quando pequena, mas agora acho meio “blé”, se é que vocês me entender. E quase apanho de alguns amigos meus ao dizer isso, mas ok. kkkkk O negocio é que dessa vez temos atores bem gatinhos nesse filme e quer motivo melhor para ver alguma coisa do que ter gente bonita e efeitos especiais bacanas? E é por isso que os dinossauros estão na minha lista.

Cinderela

Cinderela nunca foi minha favorita, porque para mim nenhuma das princesas supera a Bela (diva, maravilhosa e perfeita), mas eu adoro Contos de Fadas e eu adoro desenhos. Então, como perder esse filme? E esse príncipe, gente? EU QUERO ELE PRA MIM!! *-* Fora que essa madrinha… Gente, eu amo essa mulher. Sério mesmo. ❤

A Escolha Perfeita 2

Sabe aquele filme despretensioso que no final leva seu coração? A Escolha Perfeita foi assim. Eu adorei o filme e é impossível eu não querer ver o segundo desesperadamente. E essa menina… Gente, da era Crepúsculo ela acabou por sair uma das minhas preferidas.

Preciso dizer também que se a trilha sonora desse seguir o primeiro filme, será apenas perfeita.

Caminhos da Floresta

Sem comentários, eu só preciso desse filme. E é pra ontem.

Divertida Mente

Vi esse trailer assim que ele foi liberado e até hoje estou apaixonada. Além de ser dos mesmos criadores de outras animações que amo, o filme tem absolutamente TUDO para ser incrível. Disney e Pixar juntinhos. Preciso de mais nada para ser feliz.

Bem, amados, esses são os principais filmes que quero ver em 2015 (lançamentos e que não são adaptações de livros), mas não todos, claro. Espero que seja um ano repleto de novidades e se eu lembrar de mais algum que quero ver e não coloquei aqui, eu faço outro post.

O que acharam desses filmes? Estão na lista de vocês também? Quais filmes estão loucos para ver esse ano?

Beijos!

Laury

[TCeB] Quem serão os próximos imortais?

Textos contos e blablabla

Olá! Como vão?

Faz um tempo que não uso a coluna “TCeB”, não é verdade? Mas hoje resolvi usar porque li uma matéria muito interessante.

Que esse ano foi o ano das mortes ninguém duvida, porque convenhamos, acho que nunca vi tanta gente importante morrendo assim, uma atrás da outra. E não foi apenas atores, políticos e afins, esse ano foi de grande perda para a Academia. Quase que juntos três imortais deram adeus: Ivan Junqueira, João Ubaldo Ribeiro e Ariano Suassuna.

Perda inestimável, sem dúvida, mas assim como o resto do mundo, a Academia não para e as cadeiras foram novamente ocupadas. Os “novos” no pedaço são Ferreira Gullar, Evaldo Cabral de Mello e Zuenir Ventura. É estranho ver alguém de Academia morrer, mas isso nos faz lembrar que, de fato, eles não são imortais. Um dia ali eles vão morrer e todas aquelas cadeiras precisarão ser ocupadas. Isso me fez pensar em como eles lidariam com isso.

Vejamos, eu e provavelmente você que está lendo isso, adora a nossa literatura atual, alguns mais que os clássicos. Mas com o crescimento que ela anda tendo, muito critico já mostrou insatisfação com essa literatura “vazia”, que muitos dizem não transmitir nada além de entretenimento. Esses mesmos críticos nos mandam ler “literatura de verdade”. E foi essa “literatura de verdade” a produzida pelos imortais. Mas como apontei ali em cima, eles vão morrer.

O que eu tiro de tudo isso? Que entre os autores que estão surgindo agora, estão os novos imortais.

Acho irônico – e também uma pequena vingança – que muitos autores atacados por sua literatura hoje, se tornem imortais no futuro. Porque eu acredito que o que é importante na literatura é o tempo e a sociedade que definem. Um pouco menos elite, um pouco mais “povão”.

Mas voltando a reportagem que me fez juntar tudo isso na cabeça. A jornalista Nathália Bottino junto com umas fontes especializadas compilou uma lista dos autores que futuramente podem se tornar imortais. Conheça eles:

Daniel Galera

Ricardo Lísias

Tatiana Salem Levy

Antonio Prata

Socorro Acioli

Raphael Montes

Vanessa Barbara

Luisa Geisler

Carol Bensimon

Michel Laub

Chico Mattoso

Carola Saavedra

Leandro Sarmatz

Antônio Xerxenesky

.

É isso queridos. O que tem a dizer sobre isso?

Beijos!

Laury.

fonte