[Resenha] Hugo & Rose – Bridget Foley

Resenha 2

Olá! Como vão?

Sim, eu sou alguém que adora ser enganada. Mas somente quando se trata de livros. E eu fui enganada com esse, porque vamos combinar, a capa é super fofa, a frase fala de sonhos e a sinopse fala do homem dos seus sonhos. Ou seja, você pensa em coisas maravilhosas e fofas e “own!”. Mas não é nada disso, ao mesmo tempo que também é. Dá para entender? Então presta bem atenção que eu vou explicar (ou tentar).

hugo e rose

Com o que você sonha quando fecha os olhos a noite? Eu sou a garota dos sonhos loucos. Durante a noite, coisas muito loucas passam pela minha cabeça e elas já renderam livros (sim, todo livro meu tem uma pitadinha das coisas loucas que eu sonho), além disso, sou o tipo de pessoa que quando acorda, precisa de um tempo para distinguir o que é real e o que aconteceu somente no sonho. Agora imagine se eu tivesse o mesmo sonho todas as noites! Imagine se você tivesse! Pois é isso que acontece com a Rose. Desde que sofreu um acidente com sua bicicleta, ela sonha com o mesmo lugar e o mesmo garoto: Hugo. E todas as noites eles vivem aventuras diferentes na mesma ilha, tentando chegar à cidade do castelo.

Rose passou a vida tendo esses sonhos e nunca se importou muito com o porquê de tê-los. Ela apenas os tinha e os amava. Era parte dela, parte de sua vida, assim como Hugo também era. O garoto que a conhecia, que tinha passado a vida ao seu lado. E isso nunca impediu Rose de viver, então ela cresceu, conheceu Josh, se casou com ele, teve três filhos e se transformou em dona de casa. Tudo ia bem, até que ela começou a se sentir insatisfeita com a sua vida, como se o que ela tinha não fosse bom o bastante, como se a Rose de seus sonhos fosse quem ela realmente era.

Josh passava o dia todo no hospital, Rose não conseguia fazer Penny usar o troninho de forma correta e ela se sentia a mulher mais insignificante do mundo, até que em um belo dia, por acaso ela encontra, literalmente, o homem dos seus sonhos. Aquele com quem ela sonhava desde que era pequena. E encontrar Hugo faz Rose questionar a sua vida, questionar se tudo que fez até agora era o certo, se o homem da sua vida, ao invés de Josh, não seria Hugo.

Tudo bem, já deu para perceber que existe um triangulo amoroso, e só de pensar em triangulo amoroso, eu tenho urticária, porque são raríssimos os casos que a construção é bem feita. Mas nesse livro a coisa foi diferente. Na verdade, a coisa foi um tanto quanto mais complicada. No inicio tinha Hugo e eu torci para ele, então apareceu Josh e eu me dei conta de que Hugo não era real. Hugo era alguém com quem Rose sonhava e nada mais, então eu me apaixonei por Josh, porque Josh é um homem maravilhoso. Nossa, Josh é magnífico! E quando eu amei o Josh, eu não consegui mais larga-lo. Tudo que consegui fazer foi desejar esmurrar a Rose, porque Rose tinha tudo. Ela tinha três filhos lindos e fofos, tinha uma casa maravilhosa e um marido perfeito que a amava acima de tudo.

Só que ao invés de viver isso, Rose passava o dia todo se lamentando por ser quem era. Ela se achava gorda e tinha vergonha do seu corpo, mas nunca tentava mudar isso, não tentava cuidar mais de si nem nada parecido. Ela fugia do marido, porque o marido a amava. Sim, exatamente o que você leu. Ela fugia dele, porque ele a amava, a via de verdade e a achava linda da forma que ela era. Agora me explica, que mulher em sã consciência faria isso? Apenas Rose. Apenas ela preferia dormir e sonhar com um cara que não existia a ficar com o marido que a amava.

E então, se Rose já não fosse suficientemente insegura sozinha, ela dá de cara com o Hugo na vida real. Se fosse um livro de romance como qualquer outro, Hugo seria charmoso, bonito e o homem dos sonhos, mas céus, ele não é! Ele está decadente (em todos os sentidos possíveis), velho, gordo, usa um único moletom e ele mal toma banho! Mas Rose está tão cega pela possibilidade do cara ser o menino que cresceu com ela em seus sonhos, que ela não enxerga nada disso. Rose simplesmente se entrega a loucura de conhecer aquele cara com quem ela sonha.

E tudo dá tão errado! Foi desesperador. Bridget construiu uma trama crescente e surpreendente. O livro começa tranquilo com ares de triangulo amoroso banal e clichê, até que quando você percebe, já está dentro de algo fantástico e muito diferente do que estamos acostumados. A estória atinge um patamar fora do esperado com a loucura de Rose e a percepção de como as pessoas podem se perder dentro da sua própria mente e ideias. De como um trauma pode mudar alguém para sempre.

O livro foi muito bem escrito e permite que viajemos com Rose tanto em seus sonhos quanto em suas alucinações. E a vontade de saber onde tudo vai levar transforma a leitura em algo desesperador, porque quando Rose enlouquece, nós enlouquecemos com ela, e como ela, não sabemos onde tudo isso vai dar. É o tipo de livro que você fica tão desesperada para chegar ao final e saber como tudo vai se resolver, que não consegue nem mesmo parar para marcar frases legais e coisas do tipo.

O único momento que consegui parar e marcar uma frase foi nas páginas finais, quando tudo tinha se “resolvido” e meu desespero não mais me matava. E a frase diz tudo sobre o livro, porque no final a autora faz questão de mostrar o que ela pretendia com o livro. Um objetivo que foi muito bem atingido. Bridget quis nos mostrar a importância de sonharmos, mas nunca nos perdermos da realidade, a importância de dar valor ao que está ao nosso redor, a nossa vida. E não só sonhar no sentido literal, mas sonhar e se perder em todos os sentidos, tanto em sonhos, quanto ilusões, quanto em ideias de que “a grama do vizinho é sempre mais verde”.

Talvez os sonhos sejam isso. Talvez as pessoas que vemos nos sonhos sejam gente de verdade, que tem algo a nos ensinar, que pode nos ajudar de um jeito ou de outro. Mas todos acordamos dos sonhos. Em principio, eles estão aí para nos ajudar a levar a vida e não para nos impedir de vivê-la.

A vida de todos é importante e especial, e cabe somente a nós aproveitá-la. Cabe a nós olhar no espelho e sorrir para a imagem que vê. Cabe a nós viver conosco e viver bem. Viver com aqueles que nos cercam. Amar quem nos ama e deixar para trás aquilo que nos machuca. Rancores podem destruir vidas e também mentes. E esse livro é a maior prova disso.

Hugo & Rose foi bem diferente do que eu imaginei que seria, mas mesmo assim me agradou. Na construção, nos personagens e na mensagem. Recomendo.

P.s.: Quero muito roubar o Josh para mim!! ❤ Porque cara, aquele homem é maravilhoso de mais! O amor dele, sua devoção com sua família, a forma como se mostra capaz de fazer tudo por aqueles que ama… Ele é um exemplo, uma pessoa que mesmo com seus erros, consegue ser um marido perfeito. :3

É isso, amados. Já leram? O que acharam?

Beijos!

Laury

O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s